Desafios e impacto da cibersegurança nas infraestruturas críticas

Desafios e impacto da cibersegurança nas infraestruturas críticas. Proteger infraestruturas críticas é uma tarefa desafiadora por vários motivos.

Sendo a força vital do nosso mundo contemporâneo, as infraestruturas críticas servem como um centro nervoso pulsante que alimenta a nossa sociedade, prestando serviços indispensáveis aos cidadãos e catalisando o crescimento econômico e o desenvolvimento. Esta rede vital abrange redes elétricas robustas, sistemas de transporte intrincados, redes de telecomunicações de ponta, pilares financeiros e instalações de saúde que salvam vidas e que constituem a estrutura da nossa existência.

Dada a sua importância, a infraestrutura crítica é meticulosamente governada por um conjunto de normas regulamentares rigorosas, concebidas para fortalecer a sua segurança, resiliência e confiabilidade inabalável. Infelizmente, apesar destas medidas rigorosas, permanece a dura realidade de que a maioria destes sistemas indispensáveis são suscetíveis a uma miríade de ameaças – ataques cibernéticos insidiosos, ataques físicos implacáveis, desastres naturais impiedosos e os erros humanos.

É, portanto, da maior urgência que permaneçamos firmes no compromisso de proteger estes sistemas de infraestruturas críticas do espectro ameaçador de potenciais ataques e ameaças iminentes, garantindo que tais infraestruturas sigam protegidas.

Setores centrais de infraestrutura crítica e status da proteção

Os setores específicos que são considerados infraestruturas críticas podem variar de acordo com um determinado país ou região, mas geralmente incluem o seguinte: setor químico, setor de instalações comerciais, das comunicações, manufatura crítico, setor de barragens, o de defesa, de base industrial, de serviços de emergência, setores de energia e elétrico, de serviços financeiros, de alimentos e agricultura, instalações e serviços governamentais, setor de saúde e saúde pública, de Tecnologia da Informação (TI), de reatores nucleares, materiais e resíduos, o sistemas de transporte e o setor de sistemas de resíduos e águas residuais.

O estado atual da proteção de infraestruturas críticas varia entre diferentes países e setores. Embora alguns países priorizem a proteção de infraestruturas críticas e invistam fortemente na segurança dessas infraestruturas, outros países não lhe dão a atenção adequada, deixando-as vulneráveis a várias ameaças.

Desafios na proteção de infraestruturas críticas

Proteger infraestruturas críticas é uma tarefa desafiadora por vários motivos. Para começar, os sistemas de infraestruturas críticas estão altamente interligados e interdependentes, o que significa que uma perturbação num sistema crítico pode desencadear uma reação em cadeia ou uma série de falhas em outros sistemas.

Em segundo lugar, os sistemas de infraestruturas críticas são muitas vezes construídos com base em sistemas industriais criados há anos que não foram concebidos tendo em mente a segurança. Como resultado, eles podem ter vulnerabilidades difíceis de serem detectadas e corrigidas. Em terceiro lugar, os sistemas de infraestruturas críticas estão sujeitos a uma vasta gama de ameaças, incluindo ataques cibernéticos, ataques físicos, catástrofes naturais e erros humanos, tornando difícil protegê-los de todos os riscos possíveis.

Melhores práticas para aprimorar a segurança da infraestrutura crítica

No entanto, há possibilidades em termos estratégicos, de planejamento e tecnológicos para melhorar a segurança da infraestrutura crítica. Assim, devemos considerar aproveitar as seguintes práticas recomendadas:

  1. Avaliação de riscos: A realização de uma avaliação de riscos é um primeiro passo crucial para proteger infraestruturas críticas. O processo envolve identificar e analisar as ameaças e vulnerabilidades com base em software, sistemas e aplicações utilizados nesses sistemas de infraestrutura crítica.
  2. Inteligência sobre ameaças: Coletar e analisar inteligência sobre ameaças é essencial para identificar ameaças potenciais a sistemas de infraestrutura crítica. Este processo envolve o monitoramento do cenário de ameaças, incluindo ameaças cibernéticas, ameaças físicas e ameaças naturais.
  3. Controle de acesso: A implementação de sistemas fortes de controle de acesso pode ajudar a impedir o acesso não autorizado a sistemas de infraestrutura crítica e permite o acesso apenas a pessoal autorizado. O controle de acesso inclui a implementação de medidas de autenticação fortes, como autenticação de múltiplos fatores e limitação do acesso ao pessoal autorizado com base em seus cargos e funções.
  4. Medidas de segurança cibernética: Implemente medidas de segurança cibernética, como firewalls, para proteger o perímetro. Implemente sistemas fortes de prevenção de intrusões e protocolos de criptografia fortes. Isto pode ajudar a proteger sistemas de infraestrutura crítica contra ataques cibernéticos.
  5. Medidas de segurança física: A implementação de medidas de segurança física fortes e rigorosas, tais como verificações de entrada e saída, câmaras de vigilância, guardas de segurança e sistemas de controlo de acesso, pode ajudar a proteger infraestruturas críticas contra ataques físicos.
  6. Planeamento de resposta a incidentes: O desenvolvimento e implementação de um plano de resposta a incidentes é crucial para responder a incidentes de segurança. A realização de um exercício rotineiro da Red Team para garantir que um plano de resposta a incidentes seja eficaz é a chave para o sucesso contra um ataque.

Enfim, é fundamental proteger os sistemas de infraestruturas críticas contra ameaças potenciais. Ao implementar as melhores práticas, como avaliações de risco, é preciso coletar informações sobre ameaças, controle de acesso, medidas de segurança cibernética, medidas de segurança física e planejamento de resposta a incidentes, podemos melhorar a segurança das infraestruturas críticas e garantir a resiliência e a confiabilidade destes sistemas essenciais.

por: Fernando de Falchi, gerente de Engenharia de Segurança da Check Point Software Brasil

Veja também:

Sobre mindsecblog 2553 Artigos
Blog patrocinado por MindSec Segurança e Tecnologia da Informação Ltda.

4 Trackbacks / Pingbacks

  1. Cinco ações para consolidar a segurança na nuvem e reduzir custos | Minuto da Segurança da Informação
  2. Empresas podem impedir funcionários de usarem o TikTok? | Minuto da Segurança da Informação
  3. IA Generativa e Segurança: é possível conciliar? | Minuto da Segurança da Informação
  4. Proofpoint lança inovações pioneiras no setor de cibersegurança para quebrar a cadeia de ataques | Minuto da Segurança da Informação

Deixe sua opinião!