Plataforma Lattes do CNPq fica fora do ar devido a servidor sem backup.

Plataforma Lattes do CNPq fica fora do ar devido a servidor sem backup. Professores e pesquisadores do Brasil estão afetados pela queima de placa no servidor da Plataforma Lattes, que não tem backup.

Os sistemas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), incluindo as Plataformas Lattes e Carlos Chagas, estão indisponíveis desde a segunda-feira (26). O órgão é vinculado ao Ministério da Ciência Tecnologia e Inovações.

Em publicação nas redes sociais, o CNPq informou que o problema que causou a indisponibilidade dos sistemas já foi diagnosticado e que os procedimentos a reparação já foram iniciados. O CNPq informou que o sistema Lattes estava fora do ar, pois o servidor do CNPq “queimou”.

Ainda segundo a nota, o órgão já dispõe de novos equipamentos de Tecnologia da Informação e a migração dos dados foi iniciada antes do ocorrido.  “Independentemente dessa migração, existem backups cujos conteúdos estão apoiando o restabelecimento dos sistemas. Portanto, não há perda de dados da Plataforma Lattes“, diz um trecho do comunicado.

Por fim, o CNPq afirmou que o pagamento das bolsas implementadas não será afetado e que todos os prazos de ações relacionadas ao fomento do órgão, incluindo a Prestação de Contas, estão suspensos e, de ofício, serão prorrogados.

Fontes da Revista Fórum encaminharam a mensagem que o CNPq os enviou como resposta aos seus questionamentos.
Dessa maneira, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) revelou que o servidor do CNPq “queimou” e que não havia backup da plataforma lattes e que ainda não é possível dimensionar a quantidade de dados que foram perdidos.
A placa do servidor que queimou não tinha backup, a gente não sabe exatamente o que a gente perdeu (de dados), se perdeu alguns segundos, minutos, horas, dias. A folha de pagamento também está comprometida, vai ter que fazer algum processo manual, enfim, está um caos no CNPq”, informa o Conselho .

Em comunicado publicado nas redes sociais, o governo federal omitiu que pode ter perdido milhares de dados referentes à produção científica no Brasil.

O CNPq informa que segue em esforço conjunto com o Ministério da Ciência Tecnologia e Inovações (MCTI) para o restabelecimento dos sistemas após evento que causou a indisponibilidade das plataformas”. Em seguida, o comunicado afirma que “a prioridade é restaurar o acesso aos currículos na Plataforma Lattes o mais rápido possível”.

A reportagem da Revista Fórum entrou em contato com o CNPq e com o Ministério da Ciência Tecnologia e Inovações, mas, até o fechamento desta reportagem, não teve retorno.

Por volta das 14h desta terça-feira, dia 27 de julho, o CNPq informou por meio de suas redes sociais que já identificou o problema e que os “procedimentos para sua reparação foram iniciados”. Na mesma sequência de tuites, o órgão afirmou ainda que “existem backups cujos conteúdos estão apoiando o restabelecimento dos sistemas”, a Revista Fórum afirma que a informação relatada partiu de um funcionário que atua diretamente no setor. A plataforma continuava fora do ar por volta das 7h30 desta quarta-feira (28).

Clique para ir direto ao Twitter do CNPq e acompanhar as atualizações.

De acordo com o comunicado, “o CNPq já dispões de novos equipamentos de TI e a migração dos dados foi iniciada antes do ocorrido. Independente dessa migração, existem backups cujos conteúdos estão apoiando o restabelecimento dos sistemas”. E, por fim, que o CNPq “garante que não há perda de dados da Plataforma Lattes” e que o pagamento de bolsas “não será afetado”.

Segundo a CNN, o evento “Anúncio do Acordo de Cooperação Internacional entre o CNPq e a Fundação para a Ciência e a Tecnologia de Portugal” — que estava previsto para esta terça-feira (27) — precisou ser adiado por conta da indisponibilidade dos sistemas

Fonte: Revista Fórum & Twitter CNPq e CNN

Veja também:

Sobre mindsecblog 1772 Artigos
Blog patrocinado por MindSec Segurança e Tecnologia da Informação Ltda.

3 Trackbacks / Pingbacks

  1. Ataque avançado de residente na memória explora falha do IIS
  2. Falha no HYPER-V permite ataque devastador ao Azure
  3. Especialistas recomendam adoção do voto impresso em urnas eletrônicas

Deixe sua opinião!