Funcionário do iFood troca nomes de estabelecimentos para “Lula Ladrão”

Funcionário do iFood troca nomes de estabelecimentos para “Lula Ladrão”, “Prefiro Uber Eats”, “Vacina Mata” e gera preocupação aos estabelecimentos e consumidores do serviço de delivery.

Usuários do aplicativo de delivery iFood publicaram nas redes sociais que a plataforma supostamente havia sido hackeada e divulgaram prints do aplicativo cujo o nome de alguns estabelecimentos havia sido alterado para frases como “Lula Ladrão”, “Prefiro Uber Eats”, “Vacina Mata”.

As alterações foram percebidas na noite da teça feira (02/11) por diversos funcionários do Twitter e já viraram um dos assuntos mais comentados na rede social.  Com as alterações, alguns estabelecimento passaram a trazer nomes como ‘Lula ladrão’, ‘Vacina Mata’ e ‘Bolsonaro 2022’. As queixas vieram de cidades brasileiras como Salvador (BA) e Natal (RN). O iFood é uma empresa brasileira fundada em 2011, que atua no ramo de entrega de comida pela internet. O aplicativo é líder no setor na América Latina.

Em nota à imprensa, o iFood diz que não houve ataque hacker, mas admite que cerca de 6% dos estabelecimentos foram afetados com a troca de nomes na plataforma. “A empresa tomou medidas imediatas para sanar o problema e proteger os dados de restaurantes, consumidores e entregadores”, garantiu. No mesmo comunicado, a empresa disse que, “Em investigações preliminares, a empresa informa que não há qualquer indício de vazamento da base de dados pessoais”. Veja os detalhes aqui. 

Os dados de meios de pagamento não são armazenados nos bancos de dados do iFood, ficando gravados apenas nos dispositivos dos próprios usuários, não tendo havido comprometimento de dados de cartões de crédito”, explica o iFood. “Também não há qualquer indício de vazamento da base de dados pessoais de clientes ou entregadores cadastrados na plataforma.

Na madrugada desta quarta-feira (03/11) iFood confirmou que a mudança de nomes de restaurantes não se trata de um ataque hacker e sim de alterações promovidas por um funcionário:  “O incidente foi causado por meio da conta de um funcionário de uma empresa prestadora de serviço de atendimento que tinha permissão para ajustar informações cadastrais dos restaurantes na plataforma, e que o fez de forma indevida.”

Fonte: A Tribuna & Twitter iFood 

Veja também:

Sobre mindsecblog 1781 Artigos
Blog patrocinado por MindSec Segurança e Tecnologia da Informação Ltda.

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. MPEs estão na mira dos cibercriminosos nos ataques de dupla extorsão
  2. Black Friday e a proliferação de sites falsos de comércio eletrônico

Deixe sua opinião!