Especial Mulheres – 50 Associações e Grupos de Mulheres de Segurança Cibernética

Especial Mulheres – 50 Associações e Grupos de Mulheres de Segurança Cibernética. Uma lista especial compilada especialmente para Elas.

Em homenagem às nossas guerreira de Cybersecurity, a MindSec e o Blog Minuto da Segurança, traz aqui uma postagem especial sobre os grupos destinados à elas. Hoje vejo a participação esmagadora de homens nos diversos grupos que participamos, mas espero sinceramente ver mais participação de mulheres neste grupos profissionais e nas empresas. 

Em maio passado trouxemos aqui no Blog Minuto da Segurança uma pesquisa que aponta que as mulheres são melhores em segurança cibernética e em se protegerem online, o que acredito fortemente! (sem demagogia!). A pesquisa revelou que as mulheres estão mais preocupadas com o possível dano de suas contas online pessoais serem invadidas. Elas também tendem a usar senhas exclusivas com mais frequência do que os homens.

  • 43% das mulheres sempre usam uma senha exclusiva para contas de lojas online, contra 36% dos homens;
  • 57% usam senhas exclusivas para bancos e outras instituições financeiras, contra 50% dos homens;
  • 50% usam senhas exclusivas para email pessoal, contra 42% dos homens; 
  • 38% usam senhas exclusivas para aplicativos de comunicação, contra 31% dos homens. 

Usar senhas exclusivas para suas contas é uma das melhores coisas que você pode fazer para sua segurança online”, diz Chad Hammond, especialista em segurança cibernética da NordPass . “As pessoas que reutilizam senhas para contas diferentes correm um risco maior de serem invadidas“.

Segundo o (ISC)², a maior associação sem fins lucrativos do mundo de profissionais de segurança cibernética certificados, conforme revelado em seu relatório 2019 Women in Cybersecurity as mulheres estão ganhando espaço e sendo atraídas para as funções de segurança de dados em maior número, e as mulheres agora representam 24% da força de trabalho de segurança cibernética.

De acordo com o estudo, essa estimativa é mais alta do que em relatórios anteriores, “em parte devido à adoção de uma nova metodologia de amostra que cria uma representação mais precisa e holística dos profissionais de segurança cibernética e de TI / TIC responsáveis ​​por garantir a integridade crítica de suas organizações. ativos.

O relatório também descobriu que, embora os homens ainda superem em número as mulheres em segurança cibernética em cerca de três para um total, as mulheres no campo estão avançando para posições de liderança. De acordo com os entrevistados da pesquisa, percentuais mais altos de mulheres do que de homens estão alcançando posições de liderança sênior e tomada de decisão.

  • Diretor de tecnologia – 7% das mulheres contra 2% dos homens
  • Vice-presidente de TI – 9% das mulheres contra 5% dos homens
  • Diretor de TI – 18% das mulheres contra 14% dos homens
  • C-level / executive – 28% das mulheres contra 19% dos homens

Elas são geralmente mais educadas e mais jovens. Enquanto 44% dos homens cibersegurança possuir um grau de pós-graduação, o número de mulheres é de 52%.
Quase metade dos profissionais de segurança cibernética entrevistados são da geração do milênio – 45% em comparação com 33% dos homens. Por outro lado, os homens da Geração X representam uma porcentagem maior da força de trabalho (44%) do que as mulheres (25%).

 

Grupos e Associações

Graças aos esforços de todas as mulheres envolvidas nesses grupos, a Cybercrime Magazine compartilhou 50 grupos cibernéticos de mulheres que você precisa conhecer.

Uma nova pesquisa mostra que as mulheres representam mais de 20% da força de trabalho de segurança cibernética. Acreditamos que é importante divulgar que as mulheres são desejadas, respeitadas e valorizadas na luta constante contra os ladrões cibernéticos.

O livro Women Know Cyber: 100 Fascinating Females Fighting Cybercrime – é dedicado a todas as mulheres do setor. Queremos aumentar o número do título de 100 para 1.000 para 100.000 e além – e mover o ponteiro para 50 por cento.

Não faltam associações, listas do Twitter, grupos do LinkedIn e encontros para mulheres na segurança cibernética. Praticamente qualquer mulher que deseja se conectar e interagir com seus pares pode se tornar um membro do seguinte:

Associações

  • A Australian Women in Security Network (AWSN) está conectando, apoiando, colaborando e inspirando mulheres na segurança na Austrália e no exterior. Quer você seja um profissional de segurança com anos de experiência ou um estudante interessado em seguir carreira em segurança, há algo para você neste grupo.
  • O CErcle des Femmes de la CYberSécurité (CEFSYS) – “ Círculo Feminino de Cibersegurança ” – é uma organização de mulheres francesas no campo da cibersegurança. Além disso, acolhe homens que desejam trabalhar para promover a presença e o impacto das mulheres nas profissões relacionadas com a segurança dos sistemas de informação.
  • Cybersecurity Council of Arizona capacita a comunidade local integrando uma população diversa à força de trabalho de segurança cibernética por meio de educação, treinamento e oportunidades para criar profissionais de InfoSec dinâmicos e talentosos.
  • CybHER oferece recursos para mulheres e meninas, desde o ensino médio até a faculdade e em carreiras profissionais, com o objetivo de empoderar, motivar, educar e mudar a percepção de meninas e mulheres na segurança cibernética. Seu projeto mais notável é o GenCyber ​​Girls in CybHER Security Camp – apoiado pela NSA e o maior acampamento residencial exclusivo para meninas do país.
  • A Diana Initiative é uma corporação sem fins lucrativos que incentiva a diversidade e apóia mulheres que desejam seguir carreira em segurança da informação. A iniciativa também oferece bolsas de estudo a três alunos para sua conferência anual.
  • Engaging – Women in Cyber Defense é uma organização formada pela Calian Ltd. e o Programa de Transição Amigável para Veteranos para entender melhor as barreiras que as mulheres enfrentam na defesa cibernética e ajudar a aumentar o número de mulheres matriculadas nos programas de defesa cibernética do Canadá. Ela recruta ativamente mulheres para ingressar nas fileiras da segurança cibernética.
  • A Organização Europeia de Segurança Cibernética (European Cyber Security Organisation) criou a Women4Cyber , uma iniciativa para aumentar a participação das mulheres no campo cibernético para atender à crescente demanda por profissionais de segurança cibernética na Europa.
  •  Executive Women’s Forum (EWF) sobre Segurança da Informação, Gestão de Risco e Privacidade envolveu mais de 10.000 mulheres desde 2002. O EWF oferece programas de educação, orientação e desenvolvimento de liderança para mulheres em todos os níveis de suas carreiras, bem como uma Conferência Nacional com a participação de mais de 500 líderes emergentes e talentosas. A EWF tem parceria com mais de 700 Benfeitores Corporativos de classe mundial para cumprir sua missão.
  • Girls4Tech é um programa educacional criado pela Mastercard para inspirar meninas a seguir carreiras em STEM por meio de um currículo divertido e envolvente que inclui tópicos como criptografia, biometria, detecção de fraude e trabalho de detetive – todos eles habilidades necessárias para a segurança cibernética.
  • Girl Scouts Cyber Security Patch and Game Program foi desenvolvido pela Hewlett Packard Enterprise (HPE) para ensinar as escoteiras juniores (de 9 a 11 anos) a navegar na Internet de forma segura e defensiva. Veja Liz Joyce, CISO da HPE, falar sobre o programa .
  • Girls Go CyberStart Initiative é uma série divertida e interativa de desafios digitais projetada para apresentar as mulheres jovens ao campo da segurança cibernética; incentiva meninas do ensino médio a explorar oportunidades de carreira no campo da segurança cibernética, bem como a ingressar na comunidade global de segurança cibernética.
  • A Information Systems Security Association International (ISSA) patrocina programas de treinamento de liderança, mentoria e rede para todos os profissionais de segurança cibernética. Tem um grupo de interesse especial para mulheres que se esforçam para aprimorar seus conhecimentos sobre segurança cibernética como um todo e promove o envolvimento das mulheres nessa área.
  • InfoSecGirls é uma comunidade para diversos membros aprenderem e apoiarem uns aos outros. O principal objetivo é despertar a curiosidade das mulheres sobre a segurança da informação, incentivando mais mulheres a participarem ativamente de eventos como conferências de segurança e encontros comunitários.
  • Inteligenca é uma organização sem fins lucrativos que apoia mulheres na mudança de carreira em segurança cibernética. Recentemente, lançou 100 Mulheres em 100 Dias – uma iniciativa que se dedica a aumentar o número de mulheres na segurança cibernética, aumentando a representação na esperança de que as meninas aprendam sobre a área e ajudando 100 mulheres a reiniciar suas carreiras.
  • International Consortium of Minority Cybersecurity Professionals oferece bolsas de estudo, programas de mentores, desenvolvimento de força de trabalho e oportunidades de carreira / estágio cibernético que permitem a representação consistente de mulheres e minorias na segurança cibernética. E é gratuito para os alunos participarem.
  • Ladies of London Hacking Society oferece oportunidades para mulheres de todos os níveis de habilidade desenvolverem habilidades técnicas essenciais para o sucesso em segurança cibernética.
  • League of Women in Cybersecurity (LoWiCyS) é uma organização sem fins lucrativos focada em ajudar a preencher a lacuna da força de trabalho da segurança cibernética, aumentando a porcentagem de mulheres no campo. Suas áreas de iniciativa mais notáveis ​​são baixo custo, educação prática em segurança cibernética, oportunidades de experiência no mundo real, suporte de entrada / reentrada da força de trabalho e orientação.
  • SANS CyberTalent Immersion Academy for Women tem como objetivo aumentar o número de mulheres no setor de segurança cibernética e oferece um caminho rápido para os melhores cargos em segurança cibernética. As mulheres participam do programa de treinamento de classe mundial do SANS e ganham as certificações GIAC gratuitamente.
  • SEIDA – BAME Women In Cybersecurity é uma empresa social que existe para eliminar a lacuna de gênero na segurança cibernética enfrentada por mulheres negras e de minorias étnicas por meio de projetos, eventos e campanhas comunitárias.
  • SHe CISO Exec.. foi projetado com a visão de ser uma plataforma global sustentável de treinamento e mentoria em segurança da informação e liderança. O programa criará um pool de talentos de mulheres líderes em segurança cibernética.
  • She Secures é uma comunidade online e offline para mulheres profissionais e entusiastas da segurança cibernética. O objetivo geral da organização é aumentar ativamente sua comunidade de jovens mulheres africanas para preencher a lacuna de gênero na segurança cibernética, fornecendo-lhes uma plataforma vibrante para aprender, criar vínculos e prosperar.
  • Uniting Women in Cyber comemora o sucesso das líderes femininas de hoje em segurança cibernética. UWIC promove muitas atividades e encontros ao longo do ano para cultivar relacionamentos entre líderes femininas.
  • WOMCY – LATAM Women in Cybersecurity é a primeira organização associativa da América Latina formada por profissionais de cibersegurança que visa aumentar a presença de mulheres na cibersegurança em todas as organizações latino-americanas. Promove networking, mentoria e programas especiais para espalhar a conscientização sobre o campo da segurança cibernética.
  • Women CyberSecurity Society (WCS2) trabalha para desenvolver a capacidade da força de trabalho, promover e reter as mulheres na segurança cibernética. ele apoia a diversidade e a inclusão na indústria, ao mesmo tempo que fortalece a segurança nacional e econômica do Canadá.
  • Women CyberSecurity Society (WCSS) é uma organização sem fins lucrativos dedicada a fornecer suporte a mulheres e minorias interessadas em uma carreira de segurança cibernética. Eles oferecem bolsas de estudo, mentoria, coaching, treinamento, workshops e muito mais. Atualmente, elas têm sete capítulos em todo o mundo e instituíram um movimento global, o Dia Internacional das Mulheres no Cyber ​​(IWCD), que traz consciência para os desafios únicos que as mulheres enfrentam neste setor e celebra suas conquistas.
  • Women in Cyber ​​Security (WiCS) inspira a próxima geração para uma carreira em segurança cibernética por meio de programas STEM em escolas locais, além de trabalhar com universidades para ajudar os alunos a entender o que significa ser um especialista em segurança. Lançado em 2013 com o apoio de uma bolsa da National Science Foundation. A conferência anual WiCyS é o evento principal para mulheres no ciberespaço. Uma extensa lista de comunitários recursos para mulheres no ciberespaço é fornecida no site WiCyS. WiCyS também hospeda uma série de de capítulos estudantes em faculdades em todo o país.
  • Women in Cyber Security Middle East foi formada para promover e aumentar a participação das mulheres no campo da segurança cibernética e construir uma rede forte, confiável e crescente de profissionais de segurança cibernética mulheres apaixonadas no Oriente Médio e em países africanos.
  • Women in Defense (WID) – incorporada em 1985 e afiliada da National Defense Industrial Association (NDIA) , cultiva e apoia o avanço e o reconhecimento das mulheres em todos os aspectos da segurança nacional – incluindo a segurança cibernética. A WID Annual National Conference apresenta palestrantes da NASA, NSA, DHS, CyberCom e StratCom.
  • Women in Security and Privacy (WISP) promove o desenvolvimento, o avanço e a inclusão de mulheres no campo da segurança cibernética. O calendário do WISP é um excelente recurso, fornecendo uma lista de seus próprios eventos inovadores ao lado de outras mulheres em eventos cibernéticos e várias conferências de segurança e hackers nos EUA.
  • Women in Security – Kansas City oferece um foco para mulheres em segurança da informação por meio de mentoria de colegas, workshops e oportunidades de networking. Aberto a mulheres em todos os níveis de suas carreiras, o WiS-KC oferece bolsas de estudo e outras oportunidades para as meninas entrarem no campo.
  • Women In Technology (WIT) – Cyber and Technology Special Interest Group (Cyber & Tech SIG) visa promover a educação e as oportunidades profissionais para meninas e mulheres no espaço de segurança da informação e tecnologia, concentrando-se em carreiras, educação, networking e comunicação com especialistas.
  • Women Leading Privacy é um espaço para mulheres profissionais de segurança cibernética darem e obterem apoio de carreira, para ajudar no avanço das mulheres no campo e para expandir suas redes pessoais e profissionais
  • A Women’s Security Alliance (WomSA) oferece orientação, treinamento e oportunidades de networking para mulheres que estão entrando, reingressando ou avançando na força de trabalho de segurança cibernética.
  • Os co-fundadores da Women’s Security Society (WSS) são quem é quem das mulheres do Reino Unido no ciberespaço. WSS tem mais de 1.200 membros de todo o Reino Unido, homens e mulheres, de todo o espectro do mundo da segurança. A organização oferece networking, eventos e oportunidades de carreira para seus membros.
  • Lisa Jiggetts é fundadora da Women’s Society of Cyberjutsu (WSC) , uma organização sem fins lucrativos para mulheres no ciberespaço. Cyberjutsu parece uma arte marcial – e Jiggets é uma faixa preta de 10º grau com credenciais que incluem MBA, CISSP, ECSA, C | EH, SCNP, MCSE, CCNA, SCSA, Network + e A +. Sua organização oferece treinamento, networking, orientação e um quadro de empregos .

Twitter

  • @ladiescyber é uma rede global de encontros para mulheres na segurança cibernética.
  • @shehacks_ke reúne uma comunidade de algumas das melhores mulheres em segurança da informação no Quênia.
  • @wicca_NL é um círculo para mulheres na segurança cibernética que visa reunir as mulheres da InfoSec e as entusiastas da segurança.
  • @WiCSME promove e aumenta a participação das mulheres no campo da segurança cibernética.
  • @ Women4Cyber reúne homens e mulheres para promover o crescimento das mulheres na segurança cibernética.
  • @WomenCSSociety é uma comunidade em rede que fornece apoio e recursos para mulheres e meninas interessadas em seguir carreira na área de segurança cibernética.
  • @womencybersec é uma comunidade para mulheres e meninas na segurança cibernética se conhecerem, apoiarem umas às outras e compartilharem projetos e ideias comuns.
  • @WomeninCyberUK é um lugar para mulheres na segurança cibernética se conectarem, apoiarem, se envolverem e inspirarem umas às outras.
  • @WomenCyberWales oferece networking e suporte para mulheres que trabalham (ou desejam trabalhar) na indústria cibernética no País de Gales.
  • @womenknowcyber lista milhares de mulheres líderes em segurança cibernética, com curadoria dos editores da Revista Cybercrime.
  • @WoSECtweets é uma comunidade para mulheres e meninas se conhecerem, se apoiarem e se relacionarem.

LinkedIn

  • MAfrican Women in Cybersecurity (AFWIC) existe para promover a colaboração entre mulheres afrodescendentes na indústria de segurança cibernética e mulheres que aspiram abraçar a segurança cibernética como carreira.
  • Help A Sister Up é um ponto de encontro e iniciativa para promover e apoiar mulheres na segurança cibernética.
  • LATAM Cybersecurity by Women é uma comunidade sem fins lucrativos que visa incentivar a participação de mais mulheres na segurança cibernética, segurança da informação e hacking.
  • The League of Women in Cybersecurity (LoWiCyS) é uma organização sem fins lucrativos focada em ajudar a preencher a lacuna da força de trabalho da segurança cibernética, aumentando a porcentagem de mulheres no campo. Suas áreas de iniciativa mais notáveis ​​são baixo custo, educação prática em segurança cibernética, oportunidades de experiência no mundo real, suporte de entrada / reentrada da força de trabalho e orientação.
  • Women in Security – London é uma iniciativa formada por profissionais da área de Segurança da Informação do (ISC) 2 Capítulo Londres com a missão de elevar o perfil das mulheres na indústria de segurança da informação.
  • Women Know Cyber Group é um lugar para compartilhar notícias, trabalho, dicas de entrevistas, conselhos e rede com outras mulheres no ciberespaço.

Escoteiras dos EUA

Segundo a Cybercrime Magazine a lista de mulheres nas organizações cibernéticas não estaria completa sem as Girl Scouts of the USA .

Com a introdução de 18 novos emblemas de segurança cibernética, as escoteiras de todas as idades poderão explorar oportunidades em STEM enquanto desenvolvem habilidades de liderança e resolução de problemas.

Graças aos esforços de todas as mulheres envolvidas nesses grupos, temos o prazer de compartilhar 50 mulheres em grupos cibernéticos que você precisa conhecer.

Você conhece alguma outra associação para mulheres na segurança cibernética? Contate-nos .

Fique atento para mais!

Fonte: Cybercrime Magazine por:

  • Steve Morgan é fundador e editor-chefe da Cybersecurity Ventures.
  • Di Freeze , editor-chefe da Cybercrime Magazine, conduziu a pesquisa sobre esta compilação.
  • Bethany Littman , estagiária de verão na Cybersecurity Ventures, auxiliou na compilação de associações e grupos.

Clique para falar sobre produtos Sophos com a MindSec, representante oficial!

Veja também:

 
About mindsecblog 1443 Articles
Blog patrocinado por MindSec Segurança e Tecnologia da Informação Ltda.

3 Trackbacks / Pingbacks

  1. Quatro práticas para prevenir o ransomware
  2. Modelo Governança de 3 linhas de defesas do IIA
  3. Crime cibernético custará ao mundo US$ 10,5 trilhões em 2025

Deixe sua opinião!