Combatendo Ataques de Brute Force in 2024

Combatendo Ataques de Brute Force in 2024. Os ataques persistem apesar dos avanços na segurança cibernética. 

Na era da tecnologia, os cibercriminosos evoluem, utilizando ataques de força bruta para violar sistemas. Estratégias de mitigação são essenciais.

Hoje, seus dados podem ser comprometidos num piscar de olhos, devido à crescente sofisticação dos cibercriminosos . A tecnologia moderna facilitou o crescimento dos criminosos cibernéticos, de modo que as empresas frequentemente não conseguem acompanhá-los antes que seus dados sejam comprometidos.

Numa era em que o mundo é movido por tecnologia avançada, a salvaguarda de dados sensíveis tornou-se mais crucial do que nunca. O cenário da cibersegurança, onde técnicas sofisticadas e tecnologias avançadas dominam o discurso, por mais antiquado que seja o ataque de força bruta, continua a ser uma ameaça implacável e generalizada.

De acordo com Tyler Moffitt, Analista Sênior de Segurança, OpenText Cybersecurity, “Ao longo dos anos, observamos uma mudança significativa na forma como os cibercriminosos exploram vulnerabilidades de senha. Inicialmente dominado por ataques de força bruta, que dependem do poder computacional para adivinhar senhas, o cenário mudou para métodos mais sofisticados. No entanto, é importante observar que os ataques de força bruta continuam relevantes devido aos avanços na tecnologia.

O que é um ataque de força bruta, você pode perguntar? Basicamente, um ataque de força bruta é um método de tentativa e erro usado por hackers para obter acesso não autorizado a um sistema, aplicativo ou dados criptografados. Ao contrário das ameaças cibernéticas mais refinadas, que dependem de codificação complexa ou de táticas de engenharia social, o ataque de força bruta opera segundo um princípio simplista: tentar sistematicamente todas as combinações possíveis de senhas até encontrar a correta.

Num incidente recente, analistas de segurança da Cisco Talos, a renomada divisão de inteligência e pesquisa de segurança da gigante tecnológica, emitiram um comunicado preocupante sobre um aumento nos ataques de força bruta direcionados a VPNs, serviços SSH e interfaces de autenticação de aplicações web. Esta tendência, observada globalmente, começou a ganhar força por volta de 18 de março, sinalizando um aumento alarmante nas atividades maliciosas.

Ascensão dos ataques de força bruta

Apesar da implementação de medidas de segurança robustas e do advento de mecanismos de defesa de ponta, o ataque de força bruta continua a persistir como uma tática preferida entre os cibercriminosos em 2024.
De acordo com Tyler, o aumento na potência da GPU reforçou significativamente a viabilidade de tais ataques. , capacitando os cibercriminosos a quebrar senhas em velocidades sem precedentes. Esta capacidade computacional aprimorada ressalta a ameaça persistente representada pelos ataques de força bruta, especialmente quando combinada com a crescente prevalência de ataques de phishing e preenchimento de credenciais. Nessas táticas, os invasores exploram práticas negligentes de senhas e aproveitam dados comprometidos de violações anteriores para se infiltrar em novos sistemas.

Em 2024, os ataques de força bruta avançaram consideravelmente, com os cibercriminosos capazes de planear operações massivas com pouca assistência humana, utilizando ferramentas automatizadas e botnets. A eficácia e a taxa de sucesso do ataque podem ser aumentadas com o uso dessas ferramentas, que podem gerar e testar milhares de combinações de senhas a cada segundo.

Para obter acesso não autorizado a outras contas, técnicas de preenchimento de credenciais – que envolvem o uso de combinações de nome de usuário e senha roubadas de violações de dados anteriores – são frequentemente combinadas com ataques de força bruta.

Os cibercriminosos também estão a adotar ataques direcionados com mais frequência, concentrando-se em determinadas empresas ou pessoas valiosas, a fim de tirar partido de falhas conhecidas nas defesas do alvo. Usando uma técnica conhecida como “spraying de senha”, os invasores tentam um pequeno número de senhas usadas com frequência em um grande número de contas, na tentativa de evitar dispositivos de detecção que possam causar alarmes.

Como mitigar?

Este desenvolvimento recente sublinha a natureza em constante evolução das ameaças à segurança cibernética e enfatiza a necessidade crítica de as organizações permanecerem vigilantes e receptivas face aos riscos emergentes. Ao manterem-se informadas e implementarem medidas de segurança proativas, as organizações podem proteger eficazmente os seus ativos digitais e minimizar o impacto de potenciais violações de segurança.

De acordo com Tyler, para combater a sofisticação destas ameaças, é vital adotar uma abordagem de segurança em camadas:

  • Fortaleça as políticas de senha: implemente políticas que exijam senhas mais longas e complexas, difíceis de adivinhar ou decifrar.
  • Promova o uso de gerenciadores de senhas: incentive os usuários a adotarem gerenciadores de senhas para gerar e armazenar senhas exclusivas e robustas para cada conta.
  • Expandir a adoção da autenticação multifator (MFA): impulsionar o uso mais amplo de técnicas robustas de MFA, especialmente aquelas que empregam fatores físicos ou biométricos, que fornecem maior segurança do que fatores baseados em conhecimento. Os tokens de hardware ou a verificação biométrica são muito superiores aos SMS ou à verificação baseada em e-mail, que permanecem suscetíveis a técnicas de interceptação e manipulação, como a troca de SIM.
  • Eduque e treine os usuários: eduque regularmente os usuários sobre a importância da segurança das senhas e das mais recentes táticas de phishing, para reduzir o risco de ataques de engenharia social.

Esta tendência preocupante acentua a importância crítica de políticas robustas de senhas e medidas de segurança avançadas. As organizações devem implementar protocolos de senha rigorosos para fortalecer suas defesas contra essas ameaças em evolução. Além disso, a adoção de medidas de segurança sofisticadas é imperativa para mitigar os riscos associados a ataques de força bruta, tentativas de phishing e incidentes de preenchimento de credenciais.

Com a evolução das táticas dos cibercriminosos e a implementação de medidas de segurança proativas, as organizações podem se defender melhor contra essa ameaça onipresente e proteger seus ativos digitais.
Para celebrar o Dia Mundial da Senha, reafirme o compromisso de proteger identidades online e informações confidenciais por meio de medidas robustas de segurança de senha. Juntos, vamos lutar por um futuro digital mais seguro e protegido.

Fonte: ETInsights

Veja também:

 

Sobre mindsecblog 2473 Artigos
Blog patrocinado por MindSec Segurança e Tecnologia da Informação Ltda.

Seja o primeiro a comentar

Deixe sua opinião!