Testes de alto nível para melhorar a segurança de aplicativos

Testes de alto nível para melhorar a segurança de aplicativos. O teste é indiscutivelmente uma das fases mais importantes de um ciclo de vida de desenvolvimento de software. O nível abstrato de teste precisa ser conhecido antes que os testes possam ser projetados e executados.

Teste de caixa branca (white box) é realizado na estrutura interna, design e código-fonte, tornando-o o nível mais baixo de teste. O teste de caixa preta (black box), por outro lado, envolve avaliar a funcionalidade sem conhecer a estrutura interna do código do aplicativo. Como as partes internas do programa não são inspecionadas, esse tipo de teste está no nível mais alto.

A correlação entre teste e segurança não é nova, anda de mãos dadas. Os testes são realizados em partes do aplicativo que estão associadas à segurança. Isso é amplamente conhecido como teste de segurança (segurança + teste de software).

Então, vejamos algumas maneiras padrão e de alto nível do setor para melhorar a segurança do aplicativo.

SAST Everything

Fonte

É incrível ver como o processo de teste pode começar antes mesmo de o código ser compilado. Ele não exige necessariamente que o código seja compilado e é capaz de fornecer feedback em tempo real à medida que a base de código cresce. Isso ajuda os desenvolvedores a descobrir vulnerabilidades no início do ciclo de vida de desenvolvimento e corrigir problemas sem precisar movê-los para estágios posteriores. 

A capacidade de uma ferramenta de teste de segurança de aplicativo estático (ferramenta SAST) de avaliar toda a base de código e descobrir vulnerabilidades críticas, como injeção de SQL, XSS e problemas de estouro, dá a ela uma prioridade mais alta. As revisões manuais de código também são eliminadas porque essas ferramentas acompanham os testes automatizados. 

Algumas ferramentas SAST são capazes de apontar a localização exata da vulnerabilidade e também sugerir correções comuns. Uma infraestrutura SAST pode ser construída com configurações ajustadas de acordo com a arquitetura do aplicativo, e os resultados da análise da ferramenta podem ser triados e corrigidos com base no nível de ameaça ou exposição.

Incorporar testes no CI

O teste é um processo contínuo que é realizado até que tudo esteja em ordem. Qualquer componente, função ou módulo adicionado, removido ou atualizado necessita de testes regressivos da base de código e componentes individuais. Isso garante que o código adicionado/atualizado seja compatível com o sistema existente e não cause qualquer quebra ou crie efeitos indesejados. Esse método pode ser aprimorado incorporando testes orientados a mudanças no pipeline de integração contínua . 

Monitorar aplicativo por meio de registro

Claro que algo ainda pode dar errado a qualquer momento. Mas, o que vai dar errado? Nem o desenvolvedor nem o testador podem ter certeza. Isso ocorre porque a equipe tem noções preconcebidas sobre o processo de desenvolvimento, principalmente porque raramente vê as coisas de uma perspectiva externa. 

Uma auditoria de segurança deve ser realizada para reduzir esses contratempos, mas isso também não garante uma proteção perfeita. Há sempre o risco de que uma pequena falha no código possa levar a erros gritantes que passaram despercebidos durante o estágio de desenvolvimento. Como resultado, alguns planos de contingência devem estar em vigor para lidar com tais circunstâncias se as coisas derem errado. 

Realize um ataque simulado

Não existe um “santo graal” de uma ferramenta que forneça uma solução completa para todos os problemas, é claro. Diferentes tipos de testes requerem ferramentas diferentes. Um teste de vulnerabilidade não pode ser substituído por pentesting . A melhor maneira de perceber a força da segurança é realizando ataques simulados. Isso lhe dá uma ideia de como um ataque pode ser realizado, tornando possível escrever melhores casos de teste.

Fonte

Criptografe seus dados

Os dados são, sem dúvida, o ativo mais valioso de qualquer aplicação, seja para armazenamento, análise ou transmissão. Os dados devem ser mantidos o mais seguros possível para evitar que invasores corrompam ou manipulem os dados. Com muitos métodos de criptografia disponíveis, pode-se adaptar seu código ao uso de criptografia em vários níveis no aplicativo, dependendo da prioridade e dos dados associados a ele.

SecOps 

Outra abordagem que pode ser tomar para melhorar a segurança dos aplicativos e que está diretamente relacionada aos testes que mencionamos é o SecOps.

SecOps é uma abordagem de gerenciamento que conecta equipes de segurança e operações, semelhante a como o DevOps unifica desenvolvedores de software e profissionais de operações.

A premissa por trás do SecOps é garantir que as equipes de segurança e operações compartilhem a responsabilidade, os processos, as ferramentas e as informações para garantir que a organização não precise sacrificar a segurança para obter mais tempo de atividade e melhor desempenho.

Os objetivos de uma abordagem bem-sucedida de SecOps giram em torno da introdução de aspectos de segurança mais cedo ou em todos os estágios do ciclo de desenvolvimento.

A ênfase é colocada na alta administração para se comprometer a fazer melhorias de segurança, a fim de implementar um roteiro mais holístico. Os objetivos também podem incluir colaboração entre equipes e revisão inter-funcional de riscos operacionais.

O SecOps pode ser uma mudança cultural para algumas organizações que exige que questões maiores sejam abordadas antes que as metas possam ser alcançadas.

Nessa situação, os objetivos podem incluir a redefinição de funções e prioridades de trabalho, delineando os riscos de negócios associados a incidentes de segurança e concordando com as principais funções de negócios.

Benefícios

A implementação de uma abordagem SecOps está associada aos seguintes benefícios:

• Maior retorno do investimento (ROI).
• Melhor produtividade.
• Uso mais eficiente de recursos compartilhados.
• Menos interrupções de aplicativos ou serviços.
• Auditoria de segurança mais simplificada
• Maior visibilidade das vulnerabilidades de segurança em toda a organização.
• A adoção mais fácil de tecnologias que exigem medidas avançadas de segurança, como serviços em nuvem.
• Gerenciamento e resposta a incidentes mais fortes
• patch mais eficaz
• Menos conformidade

DevSecOps

Um termo relacionado ao SecOps é DevSecOps, um processo que envolve as práticas de segurança entre desenvolvimento e operações. Embora o termo DevSecOps seja relativamente novo, a ideia de abordar a segurança em cada estágio do ciclo de vida do software existe há anos. O DevSecOps geralmente se concentra em uma abordagem Ágil para o desenvolvimento, que visa a velocidade e a eficiência. As equipes estão trabalhando juntas para garantir que a segurança se mantenha no mesmo nível do desenvolvimento e das operações.

Ano passado publicamos aqui no Blog dois artigos sobre o assunto Segurança e DevOps – Conceito Novo para uma Necessidade AntigaDevSecOps: Desenvolvimento rápido sem sacrificar a segurança, onde colocamos que a integração de Segurança no ciclo de Desenvolvimento é importante para reduzir o retrabalho e diminuir falhas devido a requerimentos de segurança não seguidos e que a integração correta de pessoal e tecnologia de segurança, incluindo certificados digitais, pode melhorar as métricas organizacionais, evitar atrasos caros e melhorar a experiência do usuário final.

Como explicamos nestes artigos, a Segurança da Informação é sempre vista “uma pedra no sapato” quando é chamada somente ao final do ciclo de Desenvolvimento e necessita barra ou cobrar algum tipo de controle que não tenha sido implementado.

Usualmente quando um processo estruturado não acontece a Segurança é chamada ao final para liberar “regras de firewall” ou “criar usuários” e então descobre-se que o produto não implementa questões importantes de segurança e o desenvolvedor precisa voltar para a “prancheta” ou o produto entra em produção com deficiências importantes e coloca a organização exposta a riscos desnecessários.

Uma boa integração de Segurança com Desenvolvimento, aqui dê-se o nome que quiser,  DevOps ou outro, mapeia as fases do desenvolvimento e define-se os entregáveis de ambas as áreas para que se tenha as orientações e avaliações de segurança necessárias ao mesmo tempo que se tem as informações e implementações realizadas nos produtos.

Conclusão

Embora a segurança e os testes estejam sempre mudando, é crucial manter-se atualizado e acompanhar as tendências atuais. O que funciona melhor agora pode ter menos importância em uma década. Dito isso, as técnicas listadas acima ajudarão você a desenvolver aplicativos seguros que envolvam os testes apropriados. Certifique-se de colocá-los em prática para tirar o máximo proveito de sua aplicação.

Para mais informações sobre ferramentas de teste vejam nossos artigos

Fonte: GBHackers

Veja também:

 

Sobre mindsecblog 1759 Artigos
Blog patrocinado por MindSec Segurança e Tecnologia da Informação Ltda.

Seja o primeiro a comentar

Deixe sua opinião!