Segurança digital no 1º trimestre de 2024

Segurança digital no 1º trimestre de 2024. A preocupação com a segurança digital se tornou prioridade para empresas de todos os setores, principalmente devido ao crescente número de ataques cibernéticos. Por esse motivo, preparamos este artigo para tratar sobre segurança digital no primeiro trimestre de 2024 e todos os fatores que podem impactar a sua organização e os dados que são armazenados por ela.

Primeiramente, é fundamental entender o papel da segurança digital dentro de sua empresa. O avanço da transformação digital colocou a cibersegurança como uma prioridade dentro das organizações, como forma de combater os inúmeros golpes e ameaças cibernéticas que ganham cada vez mais espaço.

As empresas dependem quase que totalmente de ferramentas tecnológicas, e grande parte dos negócios se realiza com a ajuda da internet. Nesse sentido, se fez necessário adotar recursos que ajudem a proteger as informações e manter as aplicações utilizadas no dia a dia mais seguras.

Panorama Segurança Digital no país

O surgimento da Lei Geral de Proteção de Dados demonstrou diversas falhas que as empresas cometem quanto à proteção das informações de terceiros que são armazenadas e coletadas por ela, fazendo necessário adotar medidas de adaptação para garantir a proteção dessas informações. Entretanto, apenas a adequação a LGPD não é o suficiente, sendo responsabilidade da empresa adotar uma postura proativa e preventiva quanto às ameaças cibernéticas.

A segurança digital se refere a um conjunto de estratégias, técnicas e métodos voltados para proteção dos dispositivos, redes e recursos tecnológicos utilizados pelas empresas. O principal objetivo é impedir a ação de cibercriminosos e manter as informações armazenadas protegidas contra acessos não autorizados.

Por esse motivo, investir em cibersegurança deixou de ser apenas um protocolo para se tornar essencial dentro das organizações, permitindo que as empresas garantam o espaço competitivo no mercado e se destaquem diante dos concorrentes. Há uma expectativa de segurança digital por parte dos consumidores, e as empresas precisam se preparar para atender a essa demanda.

Garantir a segurança digital dentro de uma empresa atualmente leva em consideração cinco aspectos fundamentais, sendo:

  • Monitoramento de acesso;
  • Direcionamento de segurança;
  • Criptografia de dados;
  • Estratégia de backup;
  • Atualização de softwares.

Com base em uma estratégia sólida, as empresas aumentam a proteção e evitam a maioria dos ataques cibernéticos, que causam grandes prejuízos na atualidade. Nesse sentido, as empresas vêm se preocupando cada vez mais com a proteção das suas informações.

Entretanto, ainda é preocupante como os ataques cibernéticos apresentam um crescimento proeminente nos últimos anosÉ essencial buscar estratégias e ferramentas que auxiliem as organizações na proteção contra a ação de cibercriminosos.

Segurança Digital no 1º trimestre de 2024

É preocupante o crescimento que os ataques cibernéticos vêm apresentando no decorrer dos últimos anos. Um relatório recente da empresa CheckPoint Research demonstrou que o Brasil apresentou um crescimento de 38% comparado ao mesmo período de 2023, evidenciando a grande demanda por recursos tecnológicos que ajudam a manter as empresas mais protegidas.

Esse relatório realizou uma pesquisa intensa no setor de segurança digital referente aos três primeiros meses de 2024, demonstrando que houveram 2.202 ataques semanalmente. Em quantidade de ataques, o Brasil ocupou a terceira posição na lista de países com maior incidência de ataques cibernéticos, ficando apenas atrás da Colômbia que sofreu 2.484 ataques e do México com 2.296.

Dados como esse, demonstram como o Brasil se encontra em posição desfavorável em relação a outros países que investem em cibersegurança. O avanço da tecnologia com o crescimento da Internet das Coisas e da Inteligência Artificial também apresenta um papel fundamental nesse processo, criando pontos de vulnerabilidade que são explorados pelos cibercriminosos cada vez mais.

Principais ataques cibernéticos de 2024

Esse aumento substancial na quantidade de ataques cibernéticos no primeiro trimestre de 2024 se reflete nas últimas notícias sobre segurança digital. Veja a seguir três ameaças cibernéticas que causaram grande impacto no mercado:

Apple

No início do mês de abril a Apple notificou seus usuários acerca do risco de um ataque cibernético altamente sofisticado. Com o risco de seus dados pessoais serem visualizados por um spyware, a gigante da tecnologia notificou seus usuários em 92 países sobre o iminente risco de exposição.

Muddling Meerkat – China

De acordo com dados do Infoblox, nos últimos dias foi descoberta a ação de um cibercriminoso na China que monitora de forma indevida enviando um grande número de consultas DNS por meio de resolvedores DNS abertos. Entretanto, por se tratar de uma descoberta muito recente, ainda não foi possível determinar o real objetivo do cibercriminoso.

Invasão da Polícia Federal

No dia 17/04, houve uma suposta invasão aos sistemas da Polícia Federal, o que obrigou a troca das senhas de acesso dos servidores e causou a suspensão do serviço de agendamento para emissão de passaportes. Essa invasão causou um grande impacto nos serviços do órgão, que vem trabalhando para restabelecer a normalidade.

Setores que mais sofreram ataques cibernéticos em 2024

Como sabemos, os ataques cibernéticos não têm um foco específico em determinado setor, mas podem apresentar um crescimento diante de vulnerabilidades ou necessidades de dados específicos. Um exemplo disso é que no primeiro trimestre de 2024 houve um aumento significativo em alguns setores específicos.

De acordo com a pesquisa realizada pela Check Point Researchhouve um aumento de 28% no número médio de ataques cibernéticos por organização no mundo, com um crescimento de 37% nos ataques direcionados a fornecedores e fabricantes de hardware.

Devido à atual realidade sociopolítica e à grande quantidade de informações armazenadas, os setores de Governo e Forças Armadas e de Saúde se mantêm como os principais alvos de ataques cibernéticos. O mesmo se aplica ao setor de educação e pesquisa.

O setor de educação e pesquisa sofreu uma média de 2.454 ataques por organização por semana, liderando os setores mais visados por cibercriminosos, seguido pelo setor de governo e Forças Armadas, com 1.692 ataques semanais.

Entretanto, a grande preocupação se encontra, na realidade, no aumento significativo dos ataques cibernéticos direcionados ao setor de fornecedores de hardware, principalmente por conta do avanço tecnológico e da implementação de novas tecnologias no mercado.

No entanto, a grande preocupação reside no aumento significativo dos ataques cibernéticos direcionados ao setor de fornecedores de hardware, principalmente devido ao avanço tecnológico e à implementação de novas tecnologias no mercado.

De acordo com um relatório da Trend Micro, as campanhas de malware de 2019 a 2023 tiveram como principal foco os setores industrial, governamental, saúde, educação e o sistema bancário, garantindo um impacto significativo no mercado.

Embora os últimos anos tenham apresentado uma queda considerável nos ataques do tipo ransomware (de 1 bilhão de registros em 2016 para 14 milhões em 2023), essa ameaça ainda é motivo de grande preocupação. Essa queda demonstra que os ataques se tornaram mais sofisticados e direcionados.

A pesquisa também revelou um aumento de 28% nos ataques cibernéticos no mundo, enquanto em nível nacional esse aumento foi de 38%. Confira os 3 setores que sofreram mais ameaças cibernéticas, de acordo com dados da Check Point Research:

  • Educação/Pesquisa: 2.454 ataques por organização por semana, 
  • Governo/Forças Armadas: 1.692 ataques por organização por semana;
  • Saúde: 1.605 ataques por organização por semana.

A situação é preocupante e exige atenção imediata das organizações. O estudo revela que uma em cada 44 empresas no mundo sofre pelo menos um ataque de ransomware por semana.

relatório 2022 Official Cybercrime Report, realizado pela Cybersecurity Ventures, aponta que os ataques cibernéticos no mundo podem custar até US$10,5 trilhões anualmente até 2025. Essas informações evidenciam a importância da segurança digital para as organizações.

Ataques ransomware continuam a crescer em 2024

Os ataques do tipo ransomware ainda são uma grande preocupação no mercado. Essa abordagem, que sequestra informações e exige o pagamento de um resgate para sua devolução, tem feito vítimas em empresas de diversos segmentos, causando prejuízos substanciais.

No primeiro trimestre de 2024, a América do Norte concentrou 59% dos ataques publicados, enquanto a Europa apresentou um crescimento de 64% na quantidade de ataques realizados. Desses ataques, aproximadamente 4% tiveram como foco a América Latina, principalmente direcionados à indústria de comunicações (com um aumento de 177%).

A segurança digital deve ser uma prioridade, considerando a média nacional de 1.155 ataques semanais por organização e a média de 2.200 ataques no Brasil. Diante disso, é importante adotar medidas urgentes para proteger as informações e garantir um ambiente digital seguro para que as empresas possam executar suas tarefas e armazenar seus dados com segurança.

As principais ameaças de ataques cibernéticos em 2024

Como pudemos observar neste material, o crescimento dos ataques cibernéticos é uma grande preocupação atual. Diante do aumento substancial observado no primeiro trimestre de 2024, é fundamental que as empresas adotem soluções e recursos para se manterem protegidas.

Nesse sentido, precisamos entender primeiramente quais são as principais abordagens que podem prejudicar as aplicações, redes e dispositivos de um negócio. Toda a estratégia para garantir uma maior segurança de dados dentro de uma empresa se refere não só às ferramentas utilizadas e o conhecimento apresentado pelos colaboradores, como também a uma observação atenta do mercado e das ações que são implementadas pelos cibercriminosos.

Veja a seguir quais são as principais ameaças de ataques cibernéticos em 2024:

Uso de forma maliciosa da Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial, em constante evolução, é uma das tecnologias mais comentadas dos últimos anos. Apesar de trazer facilidades e recursos inéditos, ela também pode ser utilizada de forma maliciosa por cibercriminosos.

Além dos ataques de força bruta, onde diversas combinações de senhas são testadas para acessar redes e dispositivos, é necessário se preocupar com as ameaças que imitam o comportamento humano. Ou seja, os cibercriminosos utilizam tecnologia para imitar rostos, produzir fotos e vídeos, induzindo os usuários a confiarem em seus conteúdos e tentativas de acesso.

Novas formas de ataques de ransomware mais direcionados e prejudiciais

ataque de ransomware já é bastante prejudicial, mas os cibercriminosos estão se tornando mais seletivos na escolha das vítimas. Atualmente, eles buscam organizações mais lucrativas ou com maior probabilidade de pagar o resgate.

Isso significa que os cibercriminosos examinam minuciosamente a organização antes de atacar, possivelmente utilizando outras estratégias para coletar dados confidenciais, como phishing. Por isso, é fundamental se proteger contra todas as formas de ameaças que possam prejudicar o seu negócio.

Adoção mundial dos Sistemas de Transferência Automatizados (ATS)

A adesão mundial aos sistemas de transferência A2A está favorecendo a ação dos cibercriminosos, que realizam transações financeiras em massa. Com a ajuda de malware bancário que permite transações indevidas, os cibercriminosos acessam aplicativos bancários com facilidade.

Embora apenas alguns malwares brasileiros utilizem o ATS móvel, a tendência é que ataques desse tipo ganhem visibilidade devido aos altos retornos financeiros que podem proporcionar.

Pacotes Backdoor de código aberto

Os pacotes Backdoor de código aberto se referem a softwares de código aberto que são transformados para incluir um Backdoor, ou seja, uma porta de acesso secreta. Essa porta de acesso é utilizada por cibercriminosos para obter o controle da rede ou do sistema de uma empresa, permitindo acesso sem risco de detecção.

Através dessa estratégia, os cibercriminosos conseguem coletar informações confidenciais, executar malwares, contaminar dispositivos e realizar todas as suas atividades maliciosas sem que a empresa perceba. Essa é uma das principais ameaças para 2024, sendo extremamente importante adotar a ferramenta de monitoramento de acesso que ajude a identificar esses comportamentos maliciosos.

A segurança digital é um campo de batalha em constante evolução

Considerando que existem ameaças que se transformam a cada dia para atingir suas vítimas de forma cada vez mais inteligente, a estratégia de segurança cibernética da sua empresa também deve evoluir. É fundamental se manter atento às principais modificações do mercado e encontrar formas de atualizar a estratégia de proteção do seu negócio para evitar esses problemas.

Precisamos enfrentar ameaças cada vez mais sofisticadas e recursos inteligentes que podem agir sem serem detectados. Por isso, uma abordagem proativa e preventiva é crucial para a estratégia de proteção da sua organização.

É fundamental que os gestores e responsáveis pelo setor de tecnologia da sua empresa compreendam a extrema necessidade de adotar recursos mais inteligentes e sofisticados para proteger as informações e manter os cibercriminosos longe de dados confidenciais. Nesse sentido, uma pesquisa completa sobre as ferramentas disponíveis no mercado é essencial.

Como proteger a sua empresa de ataques cibernéticos em 2024?

Primeiramente, é necessário passar por um processo de conscientização e mudança na cultura da empresa. É responsabilidade de todos os envolvidos adotar uma abordagem preventiva em relação ao comportamento digital para evitar os problemas que podem ser causados pelas vulnerabilidades presentes no ambiente virtual. Nesse sentido, podemos mencionar a atualização dos recursos e ferramentas utilizados pela organização, garantindo que estejam preparados para lidar com as ameaças mais recentes e se mantenham sempre protegidos.

A implementação de uma política de acesso à internet também pode fazer toda a diferença para melhorar o comportamento dos colaboradores no ambiente virtual. Para complementar a eficácia dessa política, você pode adotar uma ferramenta de controle de acesso à internet que ajude a monitorar não só o comportamento dos usuários como também evitar o acesso indiscriminado a recursos desnecessários.

Para isso, você pode contar com ferramentas completas para ajudar sua empresa a se manter mais protegida. Essa ferramenta deve ser compatível com as necessidades da sua empresa e contar com todos os recursos para fornecer uma abordagem completa e eficaz contra a ação dos cibercriminosos.

Para empresas que buscam garantir mais segurança em seu espaço digital e manter seus dados longe do acesso de cibercriminosos, o controle de acesso à internet pode ser a solução. Com a ajuda desta ferramenta, é possível monitorar de forma mais eficiente os acessos que são realizados pelos usuários e também bloquear o acesso a conteúdos considerados nocivos, agindo de forma preventiva.

Por: Aléx de Oliveira publicado em Lumiun

Veja também:

Sobre mindsecblog 2521 Artigos
Blog patrocinado por MindSec Segurança e Tecnologia da Informação Ltda.

9 Trackbacks / Pingbacks

  1. Ataques cibernéticos podem comprometer a proteção de dados nos Jogos Olímpicos
  2. CISA alerta sobre vulnerabilidade de segurança do Apache Flink
  3. Hackers visam VPNs da Check Point para violar redes corporativas
  4. Fraude em pagamentos push aumentam 12% ao ano em UK
  5. Sites falsos de AVs espalham malware para Android e Windows
  6. Ransomware exploram vulnerabilidades do VMware ESXi
  7. Funcionários do Santander e ‘30 milhões’ de clientes hackeados
  8. PMEs foram alvo de quase 200 milhões de ciberataques em 2023
  9. Top 10 consequências dos ciberataques direcionados a certificados digitais

Deixe sua opinião!