Mulheres são principal alvo de golpes de relacionamento

Mulheres são principal alvo de golpes de relacionamento. Além da perda financeira, os traumas e as consequências psicológicas são ainda mais difíceis de lidar.

No mês em que se comemora o Dia da Mulher, pouco ainda se fala sobre o aumento nos golpes de relacionamento na web sofrido por elas ao longo do tempo.  A boa notícia é que é possível identificar as tentativas antes mesmo do cupido fajuto entrar em ação.

Em tempos de digitalização, o número de cibercriminosos aumenta a cada dia. No Brasil, 4 em cada 10 brasileiras dizem já ter sofrido algum golpe de namoro virtual ou conhecem alguém que foi vítima, segundo pesquisa da organização Era Golpe, Não Amor, um hub sem fins lucrativos para suporte a mulheres vítimas de artimanhas financeiras em relacionamentos amorosos.

Embora qualquer indivíduo possa cair em ações ardilosas, pessoas mais velhas normalmente sofrem perdas financeiras mais significativas. Os golpistas normalmente se voltam às mulheres com prováveis bens a serem roubados, como fundos de pensão ou imóveis. Acredita-se que cerca de dois terços das vítimas de fraude de romance sejam mulheres na faixa dos 50 anos.

 

De olho nos catfishers

Os chamados catfishers se esforçam muito para disfarçarem as verdadeiras intenções, abordando os alvos com mensagens cheias de elogios. Esse tipo de criminoso tende a evitar chamadas de vídeo e pode fingir que não sabe usar determinado recurso. O motivo, claro, é para evitar o contato pessoal.

Após envolver a vítima em uma trama de mentiras e manipulação emocional, o golpista visa conseguir dinheiro. Frequentemente, alega que precisa do valor para conhecê-la e pede que a pessoa cubra vistos, voos e outras despesas de viagem.

 

Como se proteger?

Para passar longe dos falsos sedutores de plantão, vale se atentar a cinco dicas principais:

  1. Não existe combinação perfeita

Se o match na internet tem exatamente os mesmos interesses que você, ele pode ter stalkeado a sua vida para te conquistar. Fique atenta aos detalhes, pois pessoas reais sempre vão discordar em algum momento.

  1. Tenha cuidado com o que publica na web

Não compartilhe demais. Os golpistas podem usar muitas informações on-line. Nunca divulgue endereço, números de identificação, detalhes de cartão de crédito ou senhas. Além disso, certifique-se de proteger as contas pessoais com senhas fortes. A maioria das pessoas ainda usa códigos fáceis de adivinhar, como nomes, times favoritos ou simplesmente “12345”.

  1. Nunca compartilhe fotos íntimas

Tenha cuidado se a pessoa começar a solicitar imagens explícitas. Esses pedidos podem se transformar em sextortion: mais à frente, o golpista pode ameaçar tornar a foto pública se não enviar dinheiro.

  1. Privacidade no perfil

Em muitos golpes, o criminoso tenta iniciar um relacionamento conectando-se por meio de redes sociais. A maioria das plataformas permite definir o perfil como privado ou limita as informações que deseja mostrar. Essa simples configuração traz mais controle sobre quem pode te seguir e visualizar dados pessoais.

  1. Faça perguntas

Quando uma conversa com um golpista engata, ele faz várias perguntas sobre a vítima. Isso acontece porque quanto mais souber, mais fácil será a manipulação. O criminoso também contará uma história sobre si mesmo e poderá tentar uma conversa por telefone. Esse estágio pode durar semanas, até meses. Por isso, faça perguntas também e fique atenta às respostas, pois se está contando inverdades, poderá esquecer o que disse antes. Além disso, os golpistas, às vezes, atuam em equipes, com pessoas diferentes por trás de uma mesma identidade. Então, se o indivíduo parece inconsistente, suspeite!

Por: Maria Eduarda Melo é Country Manager da NordVPN

Veja também:

Sobre mindsecblog 2427 Artigos
Blog patrocinado por MindSec Segurança e Tecnologia da Informação Ltda.

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Pesquisa projeta o futuro da cibersegurança na era da IA Generativa
  2. Endpoint continua sendo a linha de frente contra ransomware

Deixe sua opinião!