Empresas “cyber ready” apresentam melhores resultados

Empresas “cyber ready” apresentam melhores resultados. Investir em defesas cibernéticas não é importante apenas para ajudar a prevenir ataques cibernéticos e ameaças de dados, também é bom para o resultado final, revela um novo estudo.

Na verdade, quanto mais “cyber ready” um negócio se torna, melhores são os resultados gerais de negócios, de acordo com um estudo recente da empresa de telecomunicações Vodafone.

O Global Cyber ​​Readiness Barometer da empresa é baseado em respostas de 1.528 empresas e tomadores de decisões de TI e 3.281 consumidores / empregados e em nove países, e mostra que 48% das organizações ciber-prontas estão relatando mais de 5% de aumento na receita anual como altos níveis de confiança das partes interessadas.

Apesar disso, a pesquisa também mostra que apenas 24% das empresas em todo o mundo poderiam se considerar razoavelmente ciber protegidas.

A prontidão cibernética, de acordo com o Relatório, é uma mistura de diferentes medidas, incluindo operações cibernéticas, estratégias cibernéticas, resiliência cibernética, uma compreensão do risco e conscientização dos funcionários. As principais descobertas incluem:

  • Os setores de saúde, tecnologia e serviços financeiros são os mais cibernéticos, com o varejo e a educação menos
  • As empresas na Índia, no Reino Unido e nos EUA são as mais ciber preparadas, enquanto a República da Irlanda, Cingapura e Alemanha têm desempenho menos favorável
  • As empresas maiores têm maior probabilidade de estarem ciber preparadas, mas podem ser prejudicadas por problemas de gerenciamento e controle

Veja também: CrowdStrike aterriza no Brasil com o melhor Next Generation AV do mercado!

Uma das áreas mais interessantes que minam a prontidão cibernética foi identificada como a desconexão entre o que os empregadores acreditam sobre a atividade dos funcionários e o que realmente está ocorrendo. Por exemplo, os empregadores de todos os tamanhos que oferecem trabalho remoto acreditam que, no máximo, 46% de seus funcionários trabalham remotamente, enquanto 59% dos funcionários relatam que trabalham fora do escritório.

Esse tipo de desconexão se estende ao uso de dispositivos pessoais para acessar os dados da empresa – 43% das empresas acreditam que os funcionários usam seus smartphones pessoais para trabalhar, enquanto, na realidade, 63% dos funcionários fazem isso.

O Líder do Vodafone Enterprise Cyber ​​Security, Maureen Kaplan, comentou: “Há claramente um desejo comum de empregados e empregadores fazerem a coisa certa, mas uma grande discrepância na compreensão. Esta pesquisa demonstra que as empresas devem criar políticas digitais de segurança cibernética que sejam compatíveis com sua força de trabalho, e não apenas para marcar uma caixa. O relatório também destaca a relação entre estar pronto para o ciber e resultados de negócios, entender o comportamento de seus funcionários e como protegê-los em dispositivos, locais e redes, é mais importante do que nunca em um mundo digital.

O Relatório também identifica um forte vínculo entre o sucesso na prontidão cibernética e a obtenção de um ponto de inflexão no desempenho geral, ao mesmo tempo em que proporciona vantagem competitiva em relação a outros KPIs de negócios. Por exemplo, com as empresas mais avançadas:

  • 68% dos líderes cibernéticos dizem que estão mais focados na inovação do que os concorrentes mais próximos
  • 65% acreditam que são mais centrados no cliente do que concorrentes menos cibernéticos
  • 59% das empresas ciber preparadas acreditam ter uma vantagem digital competitiva

O Barômetro Vodafone Global Cyber ​​Readiness baseou-se nas respostas de 3.281 consumidores / funcionários e 1.528 tomadores de decisões de TI em negócios em nove países ao redor do mundo, representando 48% do PIB de serviços globais.

Fonte: Vodafone

 

Veja também:

Sobre mindsecblog 1762 Artigos
Blog patrocinado por MindSec Segurança e Tecnologia da Informação Ltda.

Seja o primeiro a comentar

Deixe sua opinião!